Solução BES faz tombar banca europeia

Solução BES faz tombar banca europeia

13 agosto 2014, 17:44
cebero
0
51

O modelo de resgate aplicado ao BES, em que os accionistas são chamados a lidar com eventuais prejuízos, está a considerado pelos investidores como um “precedente” na Europa.

PSI 20 5.816,42 pontos (-4,22%)
Todos os títulos na praça nacional estão no vermelho. A pressão vendedora regressou em força ao PSI 20 reduzido a 18 unidades. E é a banca a principal fonte da espiral negativa que vive hoje a bolsa: o BCP tomba 12% e o BPI cai mais de 7%. Isto ainda no rescaldo da solução para o BES, que pode ditar perdas para os principais bancos nacionais. 

Euro Stoxx Banks 137,92 pontos (-1,96%)
Não há motivos para sorrir nas principais praças europeias. Complica-se a situação a leste com a tropas russas, juntas à fronteira ucraniana. Dados sobre as encomendas à indústria alemã e sobre a recessão inesperada em Itália também convidam os investidores a fugir do risco. Em termos sectoriais, há tombos atrás de tombos na banca europeia: Piraeus Bank cai 8%, Banca Monte dei Paschi di Siena derrapa 5%, Intesa Sanpaolo, Mediobanca e Ubi Banca cedem mais de 3%. "A solução no caso BES abre um precedente em termos europeus e responsabiliza o sector financeiro pela fragilidade dos seus componentes", sublinha Luís Gonçalves, da GoBulling.

S&P 500 1.913,24 pontos (-0,36%)
Face às tensões ucranianas, Wall Street despertou hoje em terreno negativo, prolongando as quedas do dia de ontem. No capítulo empresarial, os títulos da Sprint tombavam 17% após ter retirado a oferta pela T-Mobile e a Time Warner deslizava 13% após a 21st Century, de Rupert Murdoch, ter retirado a sua oferta pela companhia.

Juros das obrigações portuguesas a dez anos 3,78% (0,075)
A percepção de risco da parte dos investidores em relação a Portugal agrava-se pela segunda sessão, com a taxa a dez anos a escalar para máximos de quase um mês. Esta tendência de subida também se verificava nos mercados da periferia num dia em que os indicadores económicos no euro não saíram conforme o esperado.

Euro 1,3351$ (-0,19%)
O dólar aprecia hoje para máximos de nove meses face ao euro com os sinais de força da economia norte-americana e o agravamento do risco associado à Ucrânia a motivar um aumento da procura por activos americanos. Por seu turno, a moeda única perde força perante dados económicos negativos na Alemanha - quebra das encomendas à indústria - e em Itália - economia entrou em recessão.

Ouro 1.306,63$ (1,38%)
O preço da onça do ouro segue hoje em alta para máximos de três semanas com o regresso das tensões em torno da Ucrânia a motivar uma fuga para os activos conservadores. No sentido contrário, os preços do petróleo continuam em queda, com o barril de brent, referência para as nossas importações, a cair para o nível mais baixo em nove meses, com Itália em recessão inesperada.

O Mercados em Zoom, um retrato instantâneo da evolução das bolsas, é actualizado todos os dias úteis às 11h00, 14h45 e 16h45.

Compartilhe com os amigos: