Bolsas dos EUA iniciam a semana em alta com garantias dos bancos centrais

Bolsas dos EUA iniciam a semana em alta com garantias dos bancos centrais

30 março 2015, 18:00
News
0
66
As bolsas dos Estados Unidos iniciaram a sessão em alta, animadas pela expectativa de que os bancos centrais de todo o mundo vão continuar a apoiar o crescimento da economia. Os índices recuperam ainda das perdas da semana passada.

Os principais índices norte-americanos abriram em alta esta segunda-feira, 30 de Março, depois de, na semana passada, terem registado uma série de quatro sessões consecutivas de perdas.

 

O índice industrial Dow Jones ganha 0,36% para 17.775,78 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq avança 0,63% para 4.922,23 pontos. Já o S&P500 valoriza 0,5% para 2.072,31 pontos.

 

A suportar os ganhos das bolsas norte-americanas está a expectativa de que os bancos centrais de todo o mundo vão continuar a apoiar o crescimento da economia. Na sexta-feira passada, a presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos, Janet Yellen, afirmou que a autoridade monetária deverá começar a subir os juros este ano, mas de uma forma "gradual". Já o governador do banco central da China disse, este domingo, que o governo poderá tomar mais medidas para estimular a segunda maior economia do mundo.

 

A Horizon Pharma dispara 14,17% para 24,9 dólares depois de ter anunciado que vai comprar a Hyperion Therapeutics. Já a Catamaran valoriza 24,44% para 60,13 dólares, depois de a UnitedHealth Group ter acordado a sua compra. 

 

Antes da abertura dos mercados, o Departamento do Comércio norte-americano anunciou que os gastos dos consumidores subiram 0,1% em Fevereiro, depois da queda de 0,2% registada no mês anterior.

 

Os números ficaram aquém do esperado pelos economistas consultados pela Bloomberg, que antecipavam um avanço de 0,2%. Considerando os dados ajustados à inflação, os gastos dos consumidores norte-americanos caíram pela primeira vez em quase um ano.

 

Já o rendimento das famílias aumentou 0,4% em Fevereiro pelo segundo mês consecutivo, enquanto a taxa de poupança cresceu de 5,5% para 5,8%, a mais elevada desde Dezembro de 2012. 

Compartilhe com os amigos: