Arábia Saudita prevê que preços baixos estimulem a procura por petróleo

Arábia Saudita prevê que preços baixos estimulem a procura por petróleo

9 novembro 2015, 16:00
News
0
89
A Arábia Saudita, membro da OPEP e um dos maiores produtores de petróleo mundiais, acredita que os preços baixos da matéria-prima vão estimular a procura. Os preços do petróleo estão a reagir a essa visão e estão a subir nos mercados internacionais.

A Arábia Saudita, um dos maiores produtores de petróleo do mundo e membro da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP), considera que os baixos preços do "ouro negro" vão impulsionar a procura por esta matéria-prima. Esta visão foi revelada pelo ministro saudita do Petróleo, Ali al-Naimi, num artigo publicado no site do Fórum Internacional de Energia, citado pela Bloomberg. Al-Naimi defendeu mesmo que muitos países asiáticos saudaram a queda recente dos preços do petróleo e a procura "vai, em breve, reflectir a atractividade dos actuais preços do petróleo".


O secretário-geral da OPEP, Abdall El-Badri, defende, por sua vez, que o mercado mundial desta matéria-prima vai estar equilibrado no próximo ano graças a uma subida na procura por petróleo e uma diminuição da oferta fora dos países que pertencem ao cartel, segundo a agência de informação norte-americana.

Só no ano passado o preço do petróleo recuou mais de 40% devido à especulação que o excesso de oferta de petróleo que existia no mercado ia persistir, com os países da OPEP a produzirem acima da sua quota. 

"Os sauditas estão a ter exactamente que queriam e a política que iniciaram há um ano, que tem como alvo quota de mercado em vez de preço, era a única direcção que podiam seguir", apontou Torbjoern Kjus, analista da norueguesa DNB ASA, num relatório citado pela Bloomberg.

Os preços do petróleo nos mercados internacionais estão a subir, interrompendo assim um ciclo de três dias de quedas. O West Texas Intermediate, negociado em Nova Iorque, soma 0,47% para 44,50 dólares por barril. O Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações europeias, avança 0,61% para 47,71 dólares por barril.

Efeitos da queda do petróleo na economia saudita
Em meados de Outubro, surgiram notícias que apontavam que a queda dos preços do petróleo, uma das principais fontes de receitas do Reino da Arábia Saudita, estava a provocar atrasos no pagamento a fornecedores do Governo.

Com a queda dos preços do "ouro negro" que representam cerca de 80% das receitas do país, a economia saudita está a ressentir-se e, segundo a Bloomberg, Ríade está a ser empurrada para um défice orçamental. Algo que não acontecia desde 2009. A pressão que a diminuição das receitas com a venda de petróleo está a provocar no orçamento saudita poderá estar já a afectar a capacidade do Reino em cumprir as suas obrigações financeiras. 

As fontes da agência Bloomberg referiam, na altura, que empresas que estão a trabalhar em projectos de infra-estruturas estão à espera há seis meses ou mais pelos pagamentos que lhes são devidos. A demora nos pagamentos terão aumentado este ano e as autoridades locais estão igualmente a tentar cortar o valor a pagar pelos contractos, segundo as mesmas fontes.

Estes atrasos nos pagamentos podem levar, por conseguinte, a um adiamento na conclusão dos projectos já iniciados.
Compartilhe com os amigos: