Bovespa tem queda com índices e prisões da Lava Jato; dólar sobe e volta a R$ 3,10

Bovespa tem queda com índices e prisões da Lava Jato; dólar sobe e volta a R$ 3,10

20 junho 2015, 19:25
News
0
136

Repercutindo queda na atividade econômica e aumento no Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15), a Bovespa teve desvalorização de 0,90% nesta sexta-feira (19), com 53.749 pontos. Entre as cotações, papéis da Petrobras caíram com prisões de envolvidos na Operação Lava Jato e os da Vale ficaram instáveis com leve queda na cotação do minério de ferro, enquanto o dólar registrou forte alta, de 1,42%, voltando ao patamar de R$ 3,10. 

Na divulgação de índices, a atividade econômica registrou queda pelo segundo mês consecutivo, de 0,84% em abril na comparação com março, segundo dados divulgados pelo Banco Central (BC). Já o IPCA-15 registrou aumento de 0,99% em junho, acumulando em 12 meses inflação de 8,8%. A taxa é superior ao 0,6% de maio deste ano e ao 0,47% de junho do ano passado.

No cenário externo, o presidente do conselho Europeu, Donald Tusk, convocou uma reunião extraordinária para a próxima segunda-feira (22), que tem como pauta discutir a situação da Grécia. Em um comunicado, o polonês diz que chegou a hora de debater "urgentemente" a crise em Atenas no "mais alto nível político".

Petrobras a Braskem caem com Lava Jato, Vale reflete minério de ferro e Oi tem alta

Já no mercado financeiro, os papéis da Petrobras registram queda repercutindo as prisões deflagradas pela Polícia Federal nesta sexta-feira, que prendeu envolvidos na Operação Lava Jato e que teve como alvo duas das maiores empreiteiras do do país, a Odebrecht, e a Andrade Gutierrez. Entre os presos estão os executivos Márcio Faria e Rogério Araújo, da Odebrecht, além de Marcelo Odebrecht - presidente da empresa - e Otávio Marques Azevedo, presidente da Andrade Gutierrez. Os papéis ordinários (PETR3) da companhia fecharam em queda de 1,96% cotados a R$ 14,51, enquanto os preferenciais (PETR4) encerraram com baixa de 2,01%, cotados a R$ 13,17. 

A Vale encerrou instável, afetada por leve desvalorização do minério de ferro na China. A commodity teve perda de 0,66% de seu valor, enquanto os papéis ordinários (VALE3) caíram 0,39% e os preferenciais (VALE5) tiveram leve alta, de 0,12%, cotados a R$ 20,32 e R$ 17,41 respectivamente. 

Demais destaques ficaram com papéis da Oi (OIBR4) na liderança dos ganhos enquanto Braskem (BRKM5) esteve na ponta das maiores perdas. O presidente da Oi, Bayard Gontijo, disse na última quarta-feira que a empresa terá seu capital "pulverizado" a partir de agosto. A empresa deve abrir ainda um prazo para que o detentores de ações preferenciais convertam seus papéis em ordinários, e o objetivo da medida é levar adiante a entrada no nível mais alto de governança da Bovespa. Os papéis da empresa registraram alta de 5,02%, cotados a R$ 6,48. 

Já a Braskem, também foi afetada pela Operação Lava Jato, que prendeu Marcelo Odebrecht, presidente da construtora Odebrecht, que tem participação de 38,32% na petroquímica. As ações da empresa tiveram queda de 10,40%, cotados a R$ 12,40. 


Compartilhe com os amigos: