Maré vermelha nas bolsas dita a pior semana do ano para o PSI 20

Maré vermelha nas bolsas dita a pior semana do ano para o PSI 20

17 abril 2015, 18:51
News
0
55

Bolsas dão sinais de inversão: os principais índices europeus registaram a pior semana em quatro meses enquanto o barril de petróleo sofre a maior subida em seis anos.

PSI 20 6001,87 pontos (-2,26%) Mais uma sessão com todos os títulos no vermelho. Pelo segundo dia consecutivo o índice de referência nacional recuou mais de 2%, com BCP e Impresa a afundarem mais de 5%. Uma evolução que alarga as perdas na semana para 4,86%, a pior queda semanal do PSI 20 desde Dezembro de 2014. O índice nacional registou a primeira semana de perdas das últimas seis, a acompanhar a maré vermelha na Europa. Ainda assim, desde o início do ano a praça lisboeta continua a acumular ganhos de 25%.

Euro Stoxx 600 403,69 pontos (-1,76%) Alemanha, Espanha e Madrid fecharam com quedas superiores a 2%. Mas foi a Grécia que registou a maior desvalorização entre os índices europeus, com uma queda de 3%, perante o impasse nas negociações com os credores e depois de ontem a directora-geral do FMI se mostrar intransigente em relação a um possível adiamento do reembolso do próximo pagamento de Atenas àquele fundo. O índice que reúne as maiores capitalizações europeias registou a maior queda diária desde o início de Janeiro, com todos os sectores em queda, liderados pelo sector químico e pela banca. O Stoxx 600 atingiu novos máximos na quarta-feira e continua a negociar perto do valor mais elevado face aos lucros estimados em, pelo menos, uma década. "As expectativas em relação a uma recuperação dos lucros na Europa são grandes mas as avaliações estão extremamente elevadas", comentava Dirk Thiels, responsável de investimentos da KBC Asset Management, em declarações à Bloomberg.

Dow Jones 17.856,7 pontos (-1,38%) Os principais índices norte-americanos abriram a sessão em queda, a acompanhar a tendência europeia mas também asiática, depois dos reguladores chineses terem apertado as regras em relação ao ‘shadow banking', uma espécie de sistema bancário paralelo na China. Além disso, a American Express reportou hoje resultados que desiludiram os investidores e a inflação começa a dar sinais de consistência nos EUA, uma condição essencial à subida de juros por parte da Reserva Federal norte-americana.

Obrigações Portugal a 10 anos 2,015% (12,8 pontos base) As ‘yields' da dívida portuguesa sobem hoje em todas as linhas, com a maturidade a 10 anos a ultrapassar a barreira dos 2% pela primeira vez desde o final de Fevereiro. Os títulos de dívida nacional estão a acompanhar a tendência das principais economia periféricas, pressionadas pelo impasse que se vive nas negociações entre a Grécia e os seus credores.

Euro/Dólar $1,0784 (0,2%) O euro sobe pela quarta sessão consecutiva frente à moeda norte-americana, o que é o mais longo período de ganhos desde Maio de 2014. O dólar continua hoje em queda apesar das perspectivas de subida de juros sustentadas pelos últimos números da inflação nos EUA.

‘Brent' $63,9 (-0,11%) A cotação do ‘brent', que serve de referência para Portugal, regista a maior subida semanal dos últimos seis anos, ao valorizar mais de 10,45% devido ao aumento da tensão geopolítica no Médio Oriente e à descida da produção nos EUA. Apesar disso o preço do barril de petróleo segue agora em queda ligeira, a cotar no vermelho pela primeira vez esta semana.

Compartilhe com os amigos: