Dólar começa o dia em alta, mas movimento perde força

Dólar começa o dia em alta, mas movimento perde força

4 fevereiro 2015, 15:00
News
0
46

O dólar começou o dia levemente pressionado, mas a alta perdeu força e rondava a estabilidade perto das 9h30. O mercado digere indicadores e medidas do BC na China, no aguardo de dados do emprego privado nos EUA. No Brasil, a agenda é esvaziada e os holofotes seguem sobre a Petrobras e as crises hídrica e de energia.

Às 9h22, o dólar à vista no balcão subia 0,07%, a R$ 2,696, após abrir em R$ 2,7010 (+0,26%). No segmento futuro a moeda para março era cotada a R$ 2,714 (+0,04%). A alta da moeda norte-americana no exterior limita um alívio maior ante o real.

Na China, após o dado fraco da atividade industrial divulgado na terça-feira, 3, hoje foi a vez do índice do setor de serviços reforçar a percepção de que a economia do país necessita de estímulos. O índice de atividade dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços, medido pelo banco HSBC, recuou para 51,8 em janeiro, de 53,4 em dezembro. O PMI composto, que agrega números do setor de serviços e do manufatureiro, também apresentou queda - de 51,4 em dezembro para 51,0 em janeiro.

Nesse contexto, o Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) anunciou uma série de cortes nas taxas de depósitos compulsórios do país, em decisão que libera centenas de bilhões de yuans para o sistema financeiro. O PBoC disse que cortará os compulsórios em 50 pontos-base, com uma redução de 0,5 ponto porcentual extra para certas instituições financeiras de menor porte.

Ainda no front externo, o Banco Central da Romênia reduziu hoje sua taxa básica de juros em 0,25 ponto porcentual, à nova mínima histórica de 2,25%, conforme esperado por analistas. A instituição prevê que a inflação do país continuará bem abaixo do intervalo de 1,5% a 3,5% nos próximos meses.

Os contratos futuros de petróleo operam em baixa nesta quarta-feira, 4, de quase 2% em Londres e em Nova York, com parte do mercado questionando o rali que reverteu as perdas da commodity no ano em apenas quatro sessões. Com isso, os índices de ações futuros também recuam em Wall Street. Às 9h28, no mercado futuro, o Dow Jones caía 0,09%, enquanto o S&P 500 recuava 0,23% e o Nasdaq perdia 0,24%.

Nos EUA, a expectativa do dia está em cima o relatório da ADP, sobre a criação de empregos no setor privado, que sai às 11h5 (de Brasília). A previsão dos analistas é de geração de 240 mil vagas em janeiro, próximo do resultado apurado em dezembro (+241 mil). Os números são considerados uma sinalização para o payroll na sexta-feira.

No Brasil, os players permanecem na expectativa da troca da diretoria da Petrobras, após a reunião da presidente da estatal, Graça Foster, com a presidente Dilma Rousseff ontem, além de acompanhar os desdobramentos do pedido de instalação de uma CPI da Petrobras na Câmara.

Compartilhe com os amigos: