SPAC repudia intenção da TAP em despedir "estratega" da greve

SPAC repudia intenção da TAP em despedir "estratega" da greve

14 junho 2015, 16:19
News
0
58

A TAP está a apurar se é possível despedir com justa causa o piloto Lino Rodrigues. A companhia aérea está atrás daquele que é considerado um dos obreiros da greve dos pilotos de dez dias, realizada no início de Maio.

A Antena 1 apurou que a administração da TAP quer saber se pode mandar embora Lino Rodrigues por este ser piloto e ao mesmo tempo ganhar dinheiro como assessor do sindicato.

Para além disso, a TAP desconfia que Lino Rodrigues trabalha no período em que devia cumprir os tempos de descanso obrigatório. A companhia aérea teme que o facto de o piloto não descansar coloque em causa a segurança dos passageiros.
Acusações falsas
A Antena 1 tentou ouvir Paulo Lino Rodrigues, mas não foi possível obter uma reação. Já o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil, em comunicado, «repudia veementemente, porque falsas, as acusações imputadas pela TAP ao Comandante Paulo Lino Rodrigues». 

«É falso que o comandante Paulo Lino Rodrigues tenha sido o estratega da greve dos Pilotos», lê-se no comunicado do SPAC, onde sublinha o facto de a greve ter sido decidida coletivamente em assembleia da empresa. «A declaração e manutenção da greve foi responsabilidade exclusiva da direção do SPAC».
Assessoria nunca colocou em causa segurança de voos
A direção do sindicato garante ainda que nunca a atividade de assessoria ao SPAC de Paulo Lino Rodrigues colocou em causa a segurança dos voos.

Paulo Lino Rodrigues foi assessor da direção do SPAC que promoveu a greve dos pilotos da companhia entre 1 e 10 de Maio. Começou por ser pago pelas suas funções de consultoria ao SPAC, mas com o início da greve, fez saber que dispensava os honorários.

A TAP inicia agora um processo interno para saber se há conflitos éticos e se essas funções puseram em causa a segurança operacional da companhia, durante os voos que o piloto efetuou. A companhia aérea passa ao ataque, na semana em que o governo deu um passe decisivo na privatização. O brasileiro David Neeleman e o português Humberto Pedrosa serão os futuros donos da TAP.

 

Compartilhe com os amigos: