Nobel da Economia nunca pensou ganhar o prémio mas diz-se preocupado com a desigualdade

Nobel da Economia nunca pensou ganhar o prémio mas diz-se preocupado com a desigualdade

13 outubro 2015, 14:00
News
0
72

O Prémio Nobel de Economia Angus Deaton afirmou hoje que nunca pensou conseguir este galardão, devido à amplitude de áreas que trabalha e diversidade dos seus estudos.

«Nunca pensei», afirmou Deaton durante uma conferência de imprensa na Universidade norte-americana de Princeton, no Estado de Nova Jérsia, horas depois de se conhecer que a Real Academia das Ciências Sueca lhe tinha concedido o Prémio Nobel de Economia.

A distinção reconhece o trabalho de Deaton para investigar a relação do consumo com o bem-estar e a pobreza. Os seus estudos foram determinantes para fazer com que a economia do desenvolvimento saísse de um campo quase estritamente teórico para outro, prático.

Nascido em Edimburgo, Reino Unido, em 1945, Deaton é professor de Economia e Assuntos Internacionais em Princeton, que hoje lhe ofereceu uma homenagem em que participaram personalidades da universidade.

Na ocasião, noticiou o grupo informativo NJAdvanceMedia, Deaton afirmou que continua a investigar a diferença, que aumenta todos os dias, entre ricos e pobres e a desaceleração da economia mundial.

«Estou enormemente preocupado com a desigualdade (...). Preocupa-me um mundo em que os ricos escrevem as regras», disse, perante alunos, professores e jornalistas presentes na cerimónia.

Recordou a origem humilde da sua família e que o seu pai trabalhou como mineiro de carvão, permitindo-lhe que se dedicasse à leitura, quando outros membros da família preferiam que fosse trabalhar.

«Sempre pensei que fosse improvável ganhar este prémio, porque nunca tive um campo definido», disse Deaton na Universidade de Princeton, à qual está vinculado desde que chegou aos EUA, em 1983.

Acrescentou que soube a notícia através de uma chamada telefónica feita por uma pessoa "com uma voz muito sueca", que lhe comunicou que lhe tinham outorgado o galardão.

O prémio está dotado de um milhão de dólares, mas, hoje, o Nobel da Economia disse que ainda não sabia o que ia fazer com o dinheiro.

Compartilhe com os amigos: