Você já investiu/investe/investiria até qual percentual do seu capital para investimentos em robôs (EA's) ?

Para adicionar comentários, por favor Faça o login ou registrar
Rodrigo Otavio Passos Ferreira
673
Rodrigo Otavio Passos Ferreira  
  • 12% (3)
  • 12% (3)
  • 33% (8)
  • 21% (5)
  • 21% (5)
Total de votos: 24
Rodrigo Malacarne
Moderador
8090
Rodrigo Malacarne  
Ótima enquete, Rodrigo! Pessoalmente acredito muito no potencial dos robôs... mas deixar 100% do capital ser administrado por um único robô pode ser bastante arriscado. Ao invés disso, em minha humilde opinião, acho mais interessante deixar parte do capital (o percentual depende da disposição de risco de cada um) ser administrado por diferentes robôs ao mesmo tempo.
Paulo Oliveira
Moderador
3013
Paulo Oliveira  
Malacarne:
Ótima enquete, Rodrigo! Pessoalmente acredito muito no potencial dos robôs... mas deixar 100% do capital ser administrado por um único robô pode ser bastante arriscado. Ao invés disso, em minha humilde opinião, acho mais interessante deixar parte do capital (o percentual depende da disposição de risco de cada um) ser administrado por diferentes robôs ao mesmo tempo.

Concordo com você Malacarne, mas para o investidor comum que não tem condições de criar seus próprios EAs, é um investimento muito caro comprar EAs pronto para o uso ou montar estratégias e encomendar seus EAs.

Então a solução para diversificar seria as assinaturas de sinais.

Então entramos noutra seara.... ;)

Como escolher o melhor sinal...

Como determinar o custo benefício de um sinal (quanto eu posso pagar mensalmente por um sinal em relação ao meu capital investido e expectativa de retorno)

É mais um tópico a se discutir! 

Rogerio Figurelli
Moderador
58577
Rogerio Figurelli  

Um fator importante para essa decisão, que considero relevante alertar para todos, e que não aparece na enquete, é o risco sistêmico. Mas a ideia da enquete é muito boa e abre espaço para isso, o que é o mais importante. 

Mesmo a caderneta de poupança tem um limite de garantia (pelo Fundo Garantidor de Crédito ou FGC) porque também está sujeita ao risco sistêmico. Quando estamos operando com renda variável, e ainda mais com robôs, aumentam ainda mais os riscos, devido ao aumento da complexidade dos sistemas. Dessa forma, o usuário de robôs enfrenta uma dicotomia que acontece desde que aposentamos a máquina de escrever: competir com as mais avançadas tecnologias ou ficar de fora sem correr riscos.

Como não querer correr riscos operando com robôs pode ser ainda mais arriscado, a forma que considero ideal é buscar sempre a segurança em primeiro lugar. Por exemplo, no Forex é possível criar um robô que começa operando com $1 (um dólar). Na BM&FBovespa também é possível operar com valores abaixo de 1K.

Então, na hora de definir o capital exposto, o trader com robôs, a meu ver, deve considerar que a estratégia ser perdedora (e portanto seu EA) não é o único risco que está enfrentando. Mas que o pior de todos, que é o sistêmico, pode zerar sua conta a qualquer momento, e isso dependerá de vários fatores até que ele encontre uma minimização dos riscos e maior estabilidade em todo processo, o que provavelmente nunca será 100%.

Não podemos prever o futuro mas podemos limitar nossas perdas, e talvez esse seja o único fator que dominamos no futuro. E, nesse caso, confiar nos robôs, mas ficar vigilante (controlando muito bem a perda máxima) me parece o melhor caminho.

Para adicionar comentários, por favor Faça o login ou registrar