A visão de futuro dos robôs de negociação, em um mercado Caórdico

Para adicionar comentários, por favor Faça o login ou registrar
Rogerio Figurelli
Moderador
58523
Rogerio Figurelli  

Dee Hock, fundador e primeiro CEO da Visa, criou um termo e conceito denominado Caórdico, quando descreveu o modelo de administração que utilizou por vários anos em sua empresa.

Gosto muito desse conceito, principalmente quando aplicado ao mercado de capitais, pois acredito que esse seja formado essencialmente por Ordem e Caos, cada vez mais. E, por isso, acredito também que a visão de futuro será cada vez mais relevante para os traders, principalmente com o apoio de sistemas cada vez mais rápidos e complexos para a tomada de decisão, cada vez mais autônoma e automatizada.

Agora imagine tentar separar Caos e Ordem do mercado. Para facilitar, podemos dividir o problema em fazer isso com os dados do passado ou do futuro.

A conclusão que chego, e que torna essa área fascinante, é que provavelmente quanto mais estudamos o passado mais encontramos Ordem.

E quanto mais estudamos o futuro, mais encontramos Caos!

Felizmente os robôs podem, e muito, nos ajudar a encontrar o caminho do equilíbrio, com a visão de passado e futuro na medida certa de Ordem e Caos. E, para isso, temos que aprender a modelar visão de futuro nos nossos robôs.

Quanto melhor nosso modelo de visão de futuro, provavelmente melhor também a visão dos robôs, e a nossa visão estratégica. 

Joao Alexandre
63
Joao Alexandre  

 Interessante! Existe um princípio que atesta: "ordo ab chao" (ordem a partir do caos) mas, no caso do estudo das estratégias automatizadas, aonde a análise do passado é ordem e o futuro caos, buscamos respostas, não a partir do princípio da "ordo ab chao", nem obviamente do contrário, ("chao ab ordo") mas sim, a partir de um pseudo conceito que podemos nomear como "ordo ab ordo", (ordem futura a partir da ordem passada observada), o que me parece ser impossível.

Rogerio Figurelli
Moderador
58523
Rogerio Figurelli  
Iunctus:

 Interessante! Existe um princípio que atesta: "ordo ab chao" (ordem a partir do caos) mas, no caso do estudo das estratégias automatizadas, aonde a análise do passado é ordem e o futuro caos, buscamos respostas, não a partir do princípio da "ordo ab chao", nem obviamente do contrário, ("chao ab ordo") mas sim, a partir de um pseudo conceito que podemos nomear como "ordo ab ordo", (ordem futura a partir da ordem passada observada), o que me parece ser impossível.

Olá João Alexandre, interessante também tua análise, obrigado por compartilhar.

Existe também um princípio, parecido ou talvez o mesmo que o 'ordo ab chao', que atesta que o Caos é apenas a Ordem que ainda não foi encontrada. Ou seja, por essa lógica, o sábio pode ver a Ordem onde o leigo vê apenas o Caos, mas os dois olham para o mesmo lugar. Isso acontece em muitas estratégias onde para elas funcionarem basta apenas esperar o tempo necessário, porém na maior parte das vezes não esperamos esse tempo por fatores emocionais (e os robôs são muito importantes nessa hora, pois nos ajudam a evitar isso).

Seja como for, acredito que há tanto ordem e caos no presente como no passado (em proporções talvez até parecidas), o problema está apenas na lente e tempo que utilizamos para olhar para um ou outro.

É mais fácil focar e ficar olhando só o passado, pois os dados estão lá, em grande quantidade. Já o futuro envolve no mínimo uma projeção ou prospecção, algo bem mais complexo e desafiador.

Para adicionar comentários, por favor Faça o login ou registrar